1 MIOPIA DE UM CIGARRO RASTEJANTE

  Batimento cardíaco acelerado, respiração pedindo socorro, fumaça que embaça a visão de quem passa, pés encostados e posso ser comparada ao cigarro que trago na minha boca que faz fumaça embaçando meu rosto, os olhos e o cabelo ralo vermelho encostado em qualquer pilastra de um canto para fumantes. Me olham e julgam pelo fato de parecer ser nova, mas já tenho 18 e pobres pessoas não entendem que dentro da minha boca carrego uma metáfora de mim mesma:
 Como sempre, minha visão está embaçada e quem dera que isso fosse apenas a ausência do meu óculos que carrega em suas lentes um grau de miopia 3,75. Meus olhos se encharcam de lágrimas, elas escorrem e embaçam o meu rosto, e eu vou ser sincera: Não sei bem o motivo, só sei que pensei demais e no meio de todas as confusões em que já me meti nessa vida, só devo ter tocado em alguma ferida ainda exposta. Sentimentalismo puro. E isso não se deve ao fato do meu signo ou da origem do nome, o que acontece é que sou um cigarro. Cigarro rastejante que corre, fala, come, bebe, beija, abraça, pula, chora e ri, mas a qualquer sinal de fogo o perigo está aceso! E a chama queima lentamente, cada pedaço, cada componente se desfaz rapidamente. O resto é jogado no chão, abandonado e com apenas uma mão esquerda na caixa e a outra no esqueiro já está refeito, tudo recomeça e estou pronta para mais um fogaréu!
  Caminho entre as pessoas, fecho minha jaqueta e saio de lá rapidamente pois meu sangue é puro nicotina, não pelo vício ou pela alta dose de energia que trago mas pelo fato de que se eu sair fácil da sua vida é porque nunca entrei de verdade.

1 comentários :

Nati disse...

A tua metáfora me fez lembrar a do Augustus Waters do livro "A culpa é das estrelas", mas a dele é diferente, em resumo é controlar o que te mata, pois ele apenas colocava o cigarro na boca e não acendia, dizia que não acendendo estava controlando quem poderia matá-lo. Beijos

 

Copyright © 2012 Petit Poá! Elaborado por Marta Allegretti
Usando Scripts de Mundo Blogger